• Facebook B&W
  • Instagram B&W
  • Twitter B&W
  • CMurville

MEMÓRIA INCÔMODA


Ganhei uma grana extra este mês, fiquei feliz! Fui logo comprar uma bolsa chique que tinha visto na vitrine de uma loja bacana. Finalmente, realizaria este meu sonho de consumo. E que bolsa linda!

Porém, assim que deixei a loja, ao sair na rua, avistei uma mulher miserável e maltrapilha. Fiquei um pouco sem graça. Eu ali, com aquela bolsa caríssima, e a mulher ao meu lado claramente passava fome! Mas quantas vezes já havia ajudado pessoas necessitadas, dado um trocado aqui e ali, racionalizei. Tratei de evitar olhar para a mulher na calçada, enfiei a bolsa debaixo do braço e vazei.

No entanto, com este meu comportamento, estraguei a bolsa! Agora, toda vez que uso a bolsa, me recordo da mulher passando fome. Essa memória me persegue, até mesmo quando vejo a bolsa no armário, como se a bolsa tivesse ficado com uma manchinha ou marca do encontro na calçada. A bolsa, recoberta pela lembrança do episódio fatídico, me leva sempre de volta ao dia de sua compra, trazendo à tona as sensações então experimentadas, agora agravadas por um sentimento de que algo ficou mal resolvido.

Como me curar dessa memória desagradável? Talvez eu tenha que procurar uma mulher vivendo nas mesmas condições que aquela que encontrei ao sair da loja e ajudá-la de algum modo. Afinal, quando fazemos algo de errado para nós mesmos, temos que retornar de alguma forma à cena desastrosa e dar um jeito de arrumar dentro da gente aquela memória incômoda.

Começo a desconfiar que ao cuidar dos outros, cuidamos de nós mesmos, cuidamos da gente no outro. Talvez este seja o único jeito de cuidar da própria consciência e encontrar paz. Pois, enquanto houver sujeira por todo canto e gente passando fome, dormindo na calçada, doente, necessitando de cuidados, significa que há muito trabalho a fazer. Como fazer vista grossa a tudo isso, se deixar embrulhar por racionalizações, conformismo, altivez ou qualquer outro sentimento que nos mantém focados apenas em nossos umbigos?

Não quero carregar memórias ruidosas que ficam infestando meus pensamentos. Preciso urgentemente resolver as pendências que ainda pesam em meu coração para ficar com a consciência tranquila!

#memória #incômoda #arrependimento #bolsa #chique #crônica #consciênia #pensamentos #mendigo #cuidar #croônicas #literatura #literaturacontemporânea #literaturanacional #literaturabrasileira #autora #autoranacioa #Leia #LeiaLiteraturaNacional #projetoecoliterário #mulheriodasletras #LivrariaMulherio #AtéQuando

6 visualizações